seus lados

Ask me anythingSubmitNext pageArchive

"Naquele momento decidi não reclamar da vida, era pessimista demais pro meu tamanho e não iria adiantar de nada se eu disseste que não estava de acordo com o que ele gostaria que eu estivesse. Seria só mais explicações tolas para dar para alguém que nem faz tanto sentido assim; E que também não precisava saber de sua significância ou insignificância. As vezes me sentia culpada por não me importar nem um pouco com o que eles diziam, pensavam, falavam, sentiam. Pra mim não passava de baboseiras, e frescura. Mesmo que meus problemas sejam quase parecidos, os dos outros eram dos outros e não cabia a mim tentar fazer sentido. Eles que se fodam! Me desculpem, não posso evitar ser eu. Me sinto intocável, as vezes imbatível, mas vejo que isso é só uma camada de projeção pra eu não me abater, pra eu não cair em colapso, pra eu não desistir de me amar. Controle era uma palavra/ação delicada no meu convívio, muitas das vezes presente, das outras mal sabia o significado dela. Sempre no final das noites eu deitava minha cabeça no travesseiro e pensava em como me manter firme, sem me entregar ao caos que vivia meus pensamentos. Ignorar, não se importar, dar tiros no primeiro cretino que atravessar meu caminho; Bom… Era reconfortante tudo isso."

- Leila PC